Última hora

Última hora

UE poderá acelerar lista negra de paraísos fiscais

Os ministros das Finanças da zona euro analisaram o escândalo dos "Paradise Papers" e UE poderá acelerar lista negra de paraísos fiscais.

Em leitura:

UE poderá acelerar lista negra de paraísos fiscais

Tamanho do texto Aa Aa

Não estava oficialmente na agenda, mas os ministros das Finanças da zona euro não puderam ignorar o escândalo dos chamados “Paradise Papers”, mais uma investigação global sobre investimentos em paraísos fiscais, que envolve muitos europeus famosos.


“Estes escândalos chocam a opinião pública, mostram que ainda existem empresas ou indivíduos afortunados que estão dispostos a fazer tudo para evitar pagarem os impostos que têm a obrigação de pagar como todos os outros cidadãos. Mas é, também, uma boa notícia porque ajuda a aumentar a consciencialização, particularmente entre os Estados-membros, de que é preciso continuar a trabalhar para progredir na luta contra a fraude e a evasão fiscal”, disse Pierre Moscovici, comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, segunda-feira, à entrada para a reunião.

Entre as várias medidas nesta área, a União Europeia têm tentado, durante meses, chegar a um acordo sobre uma lista negra de paraísos fiscais, mas ainda não há consenso.

“Em primeiro lugar, espero que a lista seja publicada rapidamente. Falou-se de que seria até ao final de 2017 mas, no atual contexto, devemos atuar mais rapidamente. Em segundo lugar, gostaria que essa lista fosse credível e, em terceiro lugar, desejo que haja firmeza. A firmeza pressupõe que, quando há faltas graves que podemos provar, deve haver sanções apropriadas”, acrescentou Moscovici.

Países como o Luxemburgo, Malta e a Irlanda são mais difíceis de convencer devido a políticas de baixos impostos que adotaram, há muito, para atrairem empresas multinacionais.