Última hora

Última hora

Gastronomia ao serviço da coesão social

No Rio de Janeiro há um restaurante criado por profissionais da gastronomia para as pessoas mais carenciadas - é o ReffetoRio Gastromotiva

Em leitura:

Gastronomia ao serviço da coesão social

Tamanho do texto Aa Aa

Um restaurante popular criado por profissionais da gastronomia – é o ReffetoRio Gastromotiva, no Rio de Janeiro, um projeto virado para as pessoas mais carenciadas. Criado pelo chef David Hertz, o grande impulsionador do Movimento da Gastronomia Social, pelo italiano Massimo Bottura, recebeu o prémio de melhor chef do mundo, e pela jornalista de gastronomia Alexandra Forbes.

“Às vezes são pessoas que foram abandonadas pelas suas famílias, ou orfãos, ou transsexuais, pessoas com dificuldades económicas. Temos também um centro de acolhimento anexo ao refeitório. Não sâo unicamente pessoas sem abrigo – são todas aquelas que necessitam de alimento – não só de comida, mas também de cuidados e de respeito”, disse Alexandra Forbes.

O Gastromotiva nasceu graças ao contributo de alguns dos grandes nomes da gastronomia, arte, design e arquitetura, apostados em promover a gastronomia como agente de inclusão e de coesão social.

“Nunca fui tratado tão bem como aqui, as pessoas cuidam bem da gente, fazem a gente acreditar”, disse Jorge Luís da Silva.

A versão carioca do Gastromotiva inspirou-se no Refettorio Ambrosiano, lançado durante a Expo de Milão, quando milhares de pessoas foram alimentadas por grandes chefs.