This content is not available in your region

Igreja investiga alegadas relações sexuais no Pio X

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Igreja investiga alegadas relações sexuais no Pio X

<p>O Vaticano abriu uma investigação sobre alegadas relações sexuais entre menores no pré-seminário São Pio X, na Santa Sé.</p> <p>O estabelecimento recebe acólitos e possíveis novos seminaristas de todo o mundo.</p> <p>Em comunicado, o Vaticano afirmou que o inquérito foi instaurado “na sequência de novos elementos surgidos recentemente”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="it" dir="ltr">*+++ vaticano: “nuove indagini su atti sessuali in pre-seminario dopo nuovi fatti emersi” <a href="https://twitter.com/hashtag/peccaoriginale?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#peccaoriginale</a> <a href="https://t.co/SQwupbVbsx">pic.twitter.com/SQwupbVbsx</a></p>— Gianluigi Nuzzi (@GianluigiNuzzi) <a href="https://twitter.com/GianluigiNuzzi/status/931880336136589312?ref_src=twsrc%5Etfw">November 18, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O caso veio a público no novo livro do jornalista italiano Gianluigi Nuzzi. </p> <p>Apresentado este mês, “Peccato Originale” relata a experiência de um jovem polaco que terá assistido a alegados abusos no pré-seminário.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="it" dir="ltr">+++ Denunce abusi sessuali su minorenni chierichetti del Papa che vivono in vaticano: dopo esposti Bergoglio di recente ha incontrato seminarista e testimone italiano +++ <a href="https://twitter.com/hashtag/PeccatoOriginale?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#PeccatoOriginale</a></p>— Gianluigi Nuzzi (@GianluigiNuzzi) <a href="https://twitter.com/GianluigiNuzzi/status/929266985476804609?ref_src=twsrc%5Etfw">November 11, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O jovem afirma que os abusos foram cometidos a outro seminarista, com o qual partilhava o quarto. O polaco terá sido testemunha ocular de mais de 140 situações. O presumível autor seria um aluno mais velho e que viria a ser ordenado sacerdote.</p> <p>Segundo o jovem, os abusos terão ocorrido entre 2013 e 2014 e a vítima seria menor de idade.</p>