Última hora

Última hora

Varsóvia é um dos principais destinos para fazer negócios

Localizada no coração da Europa, Varsóvia está pronta para competir com as melhores cidades do continente pelo investimento.

Em leitura:

Varsóvia é um dos principais destinos para fazer negócios

Tamanho do texto Aa Aa

Localizada no coração da Europa, Varsóvia está pronta para competir com as melhores cidades do continente pelo investimento. O progresso da Polónia é mais evidente na capital. Nesta edição de Spotlight, exploramos a cidade que se posiciona para ser um centro atrativo e competitivo para investir e viver. Surgiram mais de cinco milhões de metros quadrados destinados a empresas. Um número que ultrapassa até mesmo o boom imobiliário. Visitámos várias empresas para saber o que este “boom” significa para o futuro da cidade”.

Dados essenciais sobre a Polónia

  • 38,4 milhões de habitantes na Polónia
  • 239.500 alunos no ano 2016/2017
  • Varsóvia é n°1 na Polónia em termos de satisfação do investidor
  • 40% dos habitantes de Varsóvia falam inglês, quase 20% falam pelo menos duas línguas estrangeiras

De blocos de cimento a arranha-céus de vidro, a transformação da cidade está em andamento. A Echo investment vê Varsóvia como uma cidade moderna em construção. Está a transformar uma antiga cervejaria num local elegante na baixa da cidade, um projeto que inclui escritórios e residências. Mais de 750 mil metros quadrados estão atualmente em construção e metade são arranha-céus. Apesar do menor número de grandes arrendamentos, 2016 foi um bom ano no mercado de leasing de Varsóvia.

A empresa eslovaca HB Reveais seguiu o slogan: “o céu é o limite” quando começou a construir a Torre Varso. Com 310 metros e co conclusão prevista para 2020. Com uma arquitetura e design de interiores de prestígio, Varsóvia captou a atenção de grandes marcas globais. A Collier, uma empresa canadiana de consultoria imobiliária, no ativo em Varsóvia desde 1997, acredita que a cidade se tornou mais atraente tanto para as empresas estabelecidas como para os recém-chegados.

Espaços dedicados a escritórios na cidade são sempre boas notícias para o mercado de trabalho. No entanto, colocar os talentos certos nas empresas certas é fundamental para o avanço dos projetos.

O mercado de trabalho da Polónia está ativo, em setembro de 2017 a taxa de desemprego era de 2,3%. A Michael Page, a empresa internacional de recrutamento estabeleceu-se em Varsóvia em 2005. A empresa entrevista, aproximadamente, 18 mil candidatos por ano. “É possível encontrar uma boa combinação entre o acesso ao talento, o acesso ao espaço empresarial e o custo total. O talento aqui em Varsóvia é grande e diversificado. Diversificado ao nível da formação assim como ao das línguas – esta diversidade proporciona aquilo que as empresas procuram”, explica Yannick Coulange da Michael Page.

O JPMorgan, o maior banco de investimento norte-americano, vai abrir novos escritórios na cidade e anunciou que pretende contratar 3 mil pessoas nos próximos anos. Para apoiar e atrair empresas para a cidade, a Câmara Municipal de Varsóvia reúne esforços. O vice-presidente, Michał Olszewski é um dos responsáveis pelo desenvolvimento de iniciativas empresariais. Depois de uma longa história atormentada pela instabilidade, Varsóvia é a 6ª cidade mais segura da Europa e pretende continuar a desenvolver um caráter único.

Mas, como é que Varsóvia pode competir com outros centros comerciais da Europa como Londres, Frankfurt e Paris?“Acredito que é principalmente por causa da qualidade de vida e da boa relação entre o custo e a acessibilidade dos serviços. Varsóvia como uma capital da Europa do centro-leste pode oferecer muito mais do que muitas outras cidades: acesso a espaços verdes; acesso ao lazer, que é muito atraente e, claro; a qualidade dos locais de trabalho que existem aqui – é um dos elementos fundamentais para muitos investidores. Daqui a dez anos ainda teremos o mesmo caráter que temos agora, o caráter da cidade em equilíbrio… Em equilíbrio com a natureza, com o lazer, com a boa qualidade da economia e com boas acessibilidades”, conclui Michał Olszewski.

Credit Warsaw Timelapse : Maciej Margas