Última hora

Última hora

Polícia põe fim a bloqueio de militantes radicais

A polícia paquistanesa terminou, na última noite, o bloqueio a uma estrada, feito por islamistas radicais.

Em leitura:

Polícia põe fim a bloqueio de militantes radicais

Tamanho do texto Aa Aa

O executivo do Paquistão pediu ao exército para restabelecer a ordem em Islamabade, onde continuam os confrontos entre polícia e islamistas radicais. Há pelo menos um morto e duas centenas de feridos. A polícia iniciou, na noite de sexta-feira, uma operação para acabar com o bloqueio a uma estrada que liga a capital a Rawalpindi. Desde o início do mês que esta via estava intransitável. Para os habitantes locais o fim do bloqueio é muito positivo:

“Esta ação contra estes manifestantes é uma boa ação do governo, pelo menos agora as estradas vão estar desimpedidas. Os habitantes estavam a ter problemas, alguns doentes morreram porque a estrada estava bloqueada. Os transportes públicos não estavam a funcionar”, adianta um morador, Mohammad Javed.

As autoridades tinham dado até à meia-noite de sexta-feira para que os manifestantes dispersassem, findo esse prazo, a polícia iniciou a operação que terminou com dezenas de detenções e violência.

O protesto aconteceu em resposta a um apelo do partido Tehreek-i-Labaik Ya Rasool Allah, que exigia a demissão do ministro da Justiça que fez referência ao profeta Maomé num recente decreto constitucional.

Os manifestantes iniciaram o protesto em meados deste mês, em resposta ao apelo do pequeno partido Tehreek-i-Labaik Ya Rasool Allah, exigindo a demissão do ministro da Justiça, na sequência de uma referência ao profeta Maomé num recente decreto constitucional.

O Tehreek-i-Labaik foi criado depois da execução de Mumtaz Qadri, condenado à morte pelo assassinato de Salmaan Taseer. O antigo governador da província do Punjab foi morto depois de defender uma cristã, Asia Bibi, condenada à morte por blasfémia, e por pedir alterações à lei.