Última hora

Última hora

Saúde da britânica detida no Irão agrava-se perante novas acusações

Nazanin Zaghari-Ratcliffe foi detida em abril do ano passado e setenciada quatro meses depois a cinco anos de prisão; agora arrisca mais 16 anos atrás das grades

Em leitura:

Saúde da britânica detida no Irão agrava-se perante novas acusações

Tamanho do texto Aa Aa

A saúde mental da britânica presa no Irão desde abril do ano passado, sob acusação de conspiração para derrubar o governo de Hassan Rouhani, está a inspirar cuidados.

A preocupação parte do marido de Nazanin Zaghari-Ratcliffe.

Em entrevista à euronews e perante um novo rol de acusaç~´oes revelado através da televisão iraniana, Richard Ratcliffe afirma estar em curso uma campanha contra a mulher que lhe pode vir a agravar a sentença de cinco anos já a cumprir desde setembro de 2016. "De facto, não é um bom sinal o regresso dela ao tribunal a 10 de dezembro nem esta agressiva campanha de propaganda contra ela. Foi muito importante o governo ter refutado as alegações como fizeram e que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, se desloque ao Irão tão rápido quanto possível. Pedi para o acompanhar e sexta-feira voltei a pedir um visto para que possa estar lá no julgamento", afirmou Richard Ratcliffe.

Boris Johnson pode ter aliás, contribuído, para este novo rol de acusações contra Nazanin Zaghari Ratcliffe depois de ter admitido no início do mês que ela teria estado no Irão a ensinar jornalismo, o que Teerão interpreta como conspiração contra o governo iraniano.

"Ela estava muito traumatizada pelas novas acusações. Teve de ir à clínica da prisão para lhe injetarem sedativos e a acalmarem. Revolta-me que isto possa acontecer. Ela está muito frágil. Tem sido vista pelo médico muitas vezes e estava a tentar ver um psiquiatra para conseguir falar.Estou muito preocupado com a saúde mental dela", acrescentou o marido.

Durante uma visita aos pais, em abril do ano passado, para lhes apresentar a filha bebé, Nazanin Zaghari-Ratcliffe foi presa em abril do ano passado sob acusação de conspirar contra o governo de Hassan Rouhani. A britânica alega inocência.