Última hora

Última hora

O SEE Assembly e o acesso das PME aos mercados públicos europeus

Foi em Tallinn, na Estónia, que teve lugar mais um encontro anual dedicado às pequenas e médias empresas da UE.

Em leitura:

O SEE Assembly e o acesso das PME aos mercados públicos europeus

Tamanho do texto Aa Aa

Tallin, a capital estónia, acolheu, entre os dias 24 e 26 de novembro, mais um encontro do SME Assembly, o encontro das pequenas e médias empresas – uma iniciativa da União Europeia.

Foram três dias de conferências e ateliers interativos, num evento organizado pla Comissão Europeia, que contou com a participação de economistas, investidores, empresários e cargos políticos. Um dos pontos altos do SME Assembly foi a European SME Week, a semana europeia das pequenas e médias empresas (PME), campanha dedicada ao empreendedorismo europeu a nível local, regional e nacional.

As PME representam a base do tecido empresarial europeu e da economia europeia. Nos últimos cinco anos, as PME foram responsáveis pela criação de 85% dos postos de trabalho no continente.

A Comissão Europeia defende que as pequenas e médias empresas são fundamentais para que seja assegurado o crescimento económico da União, assim como a inovação, a criação de emprego e a integração social da UE.



Comissária Europeia para o Mercado Interno sobre a importância da iniciativa


A Euronews quis saber mais sobre a importância do evento e falou com Elżbieta Bieńkowska, Comissária Europeia para o Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e Pequenas e Médias Empresas:

“Para as pequenas e médias empresas, é importante, porque podem influencar diretamente, ao contactar com cargos políticos e outras pessoas importantes para o processo de aplicação das políticas públicas. Toda a gente pode falar e todos podem contribuir”, explicou a Comissária Bieńkowska.

A Comissária para o Mercado Interno e Empreendedorismo falou ainda dos temas debatidos nos encontros do SME Assembly:

“Entre os temas discutidos, destaca-se o acesso das pequenas e médias empresas aos mercados públicos. Se estas representam – excetuando o setor financeiro – 99,8% das empresas europeias, a verdade é que conseguem apenas 45% dos contratos públicos.”



Bruxelas gostaria que a proporção de contratos atribuidos às PME fosse mais representativa. O objetivo é que as pequenas e médias empresas consigam até 58% num futuro próximo. Os valores contratuais são importantes para empresas ávidas de crescimento:

“É um mercado enorme”, diz a Comissária. “São feitos, todos os anos, mais de dois biliões de euros
em contratos públicos. Por isso, é importante que as pequenas e médias empresas estejam presentes no mercado”.

Para que tal aconteça, a Comissão Europeia apresentou, em outubro, uma iniciativa para aproximar pequenas e médias empresas e mercados públicos de forma mais transparente. A transparência e a eficácia são dois dos fatores fundamentais para que as PME consigam crescer no setor público europeu, defende a CE:

“Para nós, o mais importante é a eficiêcia. Na forma como é gasto o dinheiro. E que não domine a filosofia do ‘quanto mais barato, melhor.’ Esta iniciativa europeia permite ter em conta a capacidade de inovação, o respeito pelo ambiente e a dimensão social. E as pequenas empresas são boas nisso, porque estão mais perto da vida real”, diz a Comissária Bieńkowska.

O objetivo é tornar mais forte o mercado único europeu, mesmo, por exemplo, no setor da Defesa, domínio sensível para vários Estados.


Atribuição dos Prémios Europeus para a Promoção do Empreendedorismo


O encontro é também uma oportunidade para premiar iniciativas e PME que contribuam para o empreendedorismo na Europa. O vencedor da 11ª edição dos Prémios Europeus para a Promoção do Empreendedorismo, os EEPA, foi uma inciativa holandesa, a Innofest, que permite a start ups darem a conhecer e testar as inovações antes de que estas cheguem ao mercado. Anna Van Nunen, da delegação vencedora, falou com a Euronews:

“Noventa por cento das ideias e inovações falham porque não são testadas antes de serem introduzidas no mercado. É aí que atuamos. Trabalhamos com oito festivais holandeses muito conhecidos no mundo empresarial, onde criamos autênticos laboratórios para testar tudo o que é inovação”.



A Innofest tem tido um caminho difícil nos Países Baixos, já que se trata de uma inicativa nova. O prémio EEPA foi, para Anna Van Nunen, um reconhecimento importante:

“Tem sido difícil crescer porque somos algo completamente novo. Por isso, este prémio, depois de dois anos de luta e de trabalho para erguer a empresa, é um grande apoio.”

Participaram 18 projetos nesta edição dos Prémios Europeus para a Promoção do Empreendedorismo. No próximo ano, o SME Assembly terá lugar na Áustria.


Com António Oliveira e Silva e