Última hora

Última hora

Dérbi Ibérico, vingança com 32 anos e reencontro com Queiroz

Espanha, Marrocos e Irão serão adversários de Portugal nos relvados russos

Em leitura:

Dérbi Ibérico, vingança com 32 anos e reencontro com Queiroz

Tamanho do texto Aa Aa

Portugal está obrigado a entrar no Campeonato do Mundo a todo o gás caso queira levantar o troféu dia 15 de julho em Moscovo. A abrir, nada mais, nada menos que a Espanha, campeã do mundo em 2010 depois de deixar pelo caminho a equipa das quinas nos oitavos-de-final.

O saldo frente a "nuestros hermanos" está longe de ser famoso e foi também aos pé de "La Roja" que Portugal caiu dois anos depois no Campeonato da Europa na última vez que mediram forças. Pelo meio, Portugal arrasou os vizinhos Ibéricos por 4-0 mas um amigável vale o que vale.

O conjunto de Fernando Santos até pode ser campeão da Europa mas a história coloca o favoritismo do lado de Espanha. Em 35 encontros, Portugal só festejou 6 vitórias tendo sido derrotado em 16 ocasiões.

Segue-se Marrocos, equipa que se encontra no 40º posto no ranking da FIFA mas nem por isso se devem esperar facilidades. Os "Leões do Atlas"somam oito vitórias e apenas uma derrota nos últimos 10 desafios efetuados e na última fase de qualificação para o Campeonato do Mundo venceram categoricamente o seu grupo com onze golos marcados e nenhum sofrido.

Tal como acontece frente a Espanha, também frente a Marrocos o saldo é desfavorável às cores lusas. A única vez que Portugal e Marrocos mediram forças, o conjunto africano venceu por 3-1 e seguiu para os oitavos-de-final do Campeonato do Mundo à custa de Portugal. Estávamos no México, em 1986. 32 anos depois, Portugal terá finalmente oportunidade para se vingar.

A fase de grupos chegará ao fim com um desafio frente ao Irão. À semelhança de Marrocos, também o conjunto asiático se pode orgulhar de uma solidez defensiva acima da média na qualificação: apenas cinco golos sofridos num total de 18 jogos.

O conjunto iraniano apresenta ainda a vantagem de ser orientado por um homem que conhece o futebol português como poucos: Carlos Queiroz. O 32º lugar no ranking da FIFA não reflete o real valor daquela que é, muito provavelmente, a melhor seleção asiática da atualidade.

A história apenas colocou por duas vezes Portugal e Irão frente a frente num campo de futebol e em ambas as ocasiões, venceu a equipa das quinas. No próximo verão, na Rússia, há um novo capítulo para escrever.