Última hora

Última hora

Ex-comissário europeu pede suspensão dos financiamentos comunitários à Hungria

A euronews entrevistou um dos signatários da carta aberta que pede ao presidente da Comissão Europeia penalizações para a Hungria

Em leitura:

Ex-comissário europeu pede suspensão dos financiamentos comunitários à Hungria

Tamanho do texto Aa Aa

Quatro antigos dirigentes europeus pedem ao presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a suspensão dos financiamentos comunitários à Hungria, para desagrado de Budapeste.

A euronews entrevistou um dos autores da carta aberta, Yannis Paleokrassas, ex-Comissário Europeu do Meio Ambiente, Assuntos Marítimos e Pesca entre 1993 e 1995:

“Há Estados membros da União Europeia que não respeitam os valores democráticos. Eu vejo coisas que não acho que devam ser permitidas na Europa de hoje e por esta razão assinei essa carta aberta, que se opõe à arbitrariedade e ao desrespeito das instituições democráticas. A União Europeia foi criada como uma instituição democrática, com o objetivo de construir uma federação de países autenticamente unida, e tudo o que impeça isto está errado.”

Os restantes signatários da carta são Hans Eichel, antigo ministro alemão das finanças, e dois outros ex-comissários da União Europeia: Pascal Lamy e Franz Fischler.

Há cerca de um ano, aproximadamente, 2.500 presidentes de municípios da Hungria, 80% do total, enviaram uma carta aberta a Jean-Claude Juncker, exigindo que a Comissão Europeia considere “a voz dos cidadãos húngaros e europeus” e que o país seja retirado do sistema de distribuição de refugiados na União Europeia.

Em agosto, o primeiro ministro húngaro Viktor Orban exigiu a Bruxelas o reembolso de 400 milhões de euros, que representariam a metade do valo que Budapeste terá consagrado à defesa das suas fronteiras face à crise dos refugiados. A solidariedade implica benefícios recíprocos, respondeu, em setembro, Jean-Claude Juncker.