Última hora

Última hora

Turquia reage a acusações contra Presidente Erdogan

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse, sexta-feira, que esperava que Zarrab "recue no seu erro", e afirmou que o caso tem como alvo a Turquia e sua economia. Na quinta-feira, num tribunal de Nova Iorque, Zarrab acusou Erdogan de ajudar o Irão a fugir a sanções dos Estados Unidos.

Em leitura:

Turquia reage a acusações contra Presidente Erdogan

© Copyright :
Elizabeth Williams
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente turco Recep Tayip Erdogan foi acusado pelo comerciante de ouro, Reza Zarrab, de ajudar o Irão de fugir às sanções dos Estados Unidos. Na Turquia, a acusação, feita num tribunal de Nova Iorque, provocou várias reações.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse, sexta-feira, que esperava que Zarrab, que coopera com as autoridades norte americanas no julgamento de um executivo do banco público turco Halkbank, "recue no seu erro", e afirmou que o caso tem como alvo a Turquia e sua economia.

Reza Zarrab testemunhou, na quinta-feira, que Erdogan, enquanto o primeiro-ministro, assinou um esquema que usava dezenas de milhões em subornos para ajudar o Irão a evitar sanções económicas.

O empresário turco-iraniano disse que, em outubro de 2012, Erdogan deu "instruções" para que outros dois bancos turcos também participassem num esquema onde o Halkbank era a placa giratória para contornar as sanções.

Entretanto, o Ministério Público turco ordenou, sexta-feira, a apreensão dos bens de Zarrab e da família.

O promotor de Istambul disse que as propriedades de Reza Zarrab e da família seriam confiscadas como parte de uma investigação sobre o magnata.

O jornal Hurriyet noticiou que a decisão tem como alvo 22 outras pessoas, incluindo a filha do comerciante.

De acordo com a agência Anadolu, Zarrab é acusado de "espionagem" para um estado estrangeiro.

Detido em Miami em março de 2016, o magnata do ouro é a principal testemunha no julgamento do executivo do banco público turco Halkbank, Mehmet Hakan Atilla, acusado de ajudar o Irão a contornar as sanções norte-americanas.