Última hora

Última hora

Bali pede ajuda divina para evitar outra trágica erupção do Agung

Alguns fiéis juntaram-se no Templo de Pura Besakih, a pedir a "Deus todo poderoso" uma resposta "clara e tão rápida quanto possível" sobre o vulcão

Em leitura:

Bali pede ajuda divina para evitar outra trágica erupção do Agung

Tamanho do texto Aa Aa

Parece ter acalmado o vulcão do Monte Agung, no leste de Bali, na Indonésia. Ainda assim, mantém-se uma coluna de fumo, o magma estará em ebulição cerca de quatro quilómetros abaixo da cratera, que já terá um terço preenchido de lava.

Por precaução, mantém-se o perimetro de segurança na zona que se prevê poder ser afetada por uma iminente erupção, que pode dar-se a qualquer momento.

Esse é o receio de muitos residentes na região. Alguns reuniram-se em oração no Templo de Pura Besakih, siotuado numa das encostas do Agung.

A regente da Karangasem explicou-nos ter sido pedido pelos fiéis a "Deus todo poderoso, uma resposta clara, tão rápida quanto possível" sobre o vulcão.

Perante uma iminente erupção, I Gusti Ayu Mas Sumantri garante que "a região está preparada e que o perímetro da zona de perigo já foi evacuado."

Quase 60 mil pessoas foram retiradas para zonas de segurança das quase 100 mil que se estima habitarem na zona que poderá vir a ser afetada opor uma eventual erupção.

Entre as pessoas já deslocadas há alguns sobreviventes da erupção de 1963, que matou entre 1100 a 1500 pessoas, uma das piores tragédias do género desde que há registos.

Há 54 anos, tudo começou em fevereiro com a expulsão de fumo e cinzas, seguido do derrame de lava e de uma grande explosão a 17 de março.

Uma segunda explosão viria a ocorrer dois meses depois. Nyoman Arse tinha na altura pouco mais de 20 anos e lembra-se de ver "pedras a rolar pela montanha, fazendo muito barulho".

"Eram pedregulhos enormes e traziam fogo. É o mesmo tipo de rocha que têm escavado nas minas", referiu este sobrivente, agorfa com 78 anos.

"O que está a acontecer agora ainda não é nada. Da outra vez, havia lava a escorrer da cratera e depois deu-se a explosão", lembra este sobrevivente, hoje com 78 anos.

A nuvem de fumo e cinza gerada pelo vulcão motivou a suspensão do aeroporto internacinal de Bali e o cancelamento de diversos voos.

A erupção do Agung em 1963 chegou a arrefecer temporariamente o planeta entre 0,1 e 0,2 graus centígrados, recordou a New Scientist.

Imagens em tempo real do vulcão no Monte Agung

A Austrália anunciou entretanto a reabertura das ligações aéreas a partir de Bali para esta segunda-feira após o cancelamento de voos dos últimos dias, que deixaram cerca de 8000 turistas bloqueados na geralmente paradis´iaca ilha indonésia.

Em comunicado, as companhias aéreas Jetstar e Qantas informaram que as condições de voo junto ao aeroporto de Denpasar deveriam manter-se favoravéis na segunda-feira e, por isso, está agendada a retomada dos serviços entre Bali e a Austrália.