Última hora

Última hora

Theresa May em corrida contra o tempo

Primeira-ministra britânica em contrarrelógio para resolver o veto imposto pelos unionistas da Irlanda do Norte ao acordo do Brexit. Para a semana, há Conselho Europeu.

Em leitura:

Theresa May em corrida contra o tempo

Tamanho do texto Aa Aa

Mariano Rajoy veio trazer palavras de alento a uma Theresa May que viu subitamente bloqueado o processo do Brexit. De visita a Downing Street, o presidente do Governo espanhol declarou estar convencido de que a situação vai acabar por avançar rapidamente para uma segunda fase de negociações.

Mas a verdade é que a primeira-ministra britânica tem de resolver o impasse criado pelo Partido Unionista da Irlanda do Norte, que não aceita as propostas de exceção a nível aduaneiro que representam, consideram, uma divergência em relação a Londres.

Já a oposição trabalhista salienta que as condições têm de ser mais brandas ou o Reino Unido arrisca a implosão.

"A fantasia colidiu com a realidade. O Partido Trabalhista considera que é necessária uma resposta nacional ao Brexit. A questão é: será que a primeira-ministra está disposta a repensar a sua intransigência e refletir noutras opções relativamente à união aduaneira e ao mercado único? Porque senão o preço a pagar será demasiado elevado, isto é, será a rutura da união e a reabertura das antigas divisões na Irlanda do Norte", declarou o deputado Keir Starmer no parlamento.

Segundo Stefan Grobe, correspondente da Euronews em Bruxelas, "no dia que se seguiu ao súbito colapso do acordo do Brexit, o silêncio era ensurdecedor em Bruxelas. Não houve declarações, nem entrevistas dos principais intervenientes. Isto deixa entender que todos os argumentos estão em cima da mesa e que não há muito mais a dizer. Para conseguir avançar, Theresa May necessita de arrumar a casa. Resta saber até que ponto lhe sobram trunfos políticos para jogar".