Última hora

Última hora

Roménia lamenta a morte do rei Miguel

Miguel, o último rei da Roménia, que reinou durante a Segunda Guerra Mundial, morreu aos 96 anos, na Suíça, vítima de uma leucemia. Margareta, a herdeira da coroa, promete continuar a missão do pai junto do povo romeno.

Em leitura:

Roménia lamenta a morte do rei Miguel

Tamanho do texto Aa Aa

O desaprecimento do rei Miguel tocou os corações dos romenos. O último rei da Roménia, era bastante popular, apesar de não reinar. São muitos os que lhe prestam homenagem, junto à casa da família real.

“É muito difícil para mim falar da morte de um homem como o rei Miguel. Penso que não é só o povo romeno que lamenta o rei Miguel, mas toda a Europa", afirma um cidadão romeno.

"Espero que em memória de sua magestade haja um despertar na Roménia, no nosso país, em muitos pontos de vista", afirma a jornalista Cristina Topescu, autora de um documentário sobre a vida do rei”, diz a jornalista Cristina Topescu, autora de um documentário sobre a vida do rei.

O presidente, Klaus Iohannis, declarou: "Este é um dia triste para a Roménia e para os romenos. O rei Miguel era uma das personalidades mais importantes do país e escreveu a história da Roménia em maiúsculas."

Em comunicado, a herdeira da coroa, Margareta, filha do rei, afirmou: "É o início de um novo ciclo para a Casa Real da Roménia. Inspirada pelos mesmos sentimentos do meu pai, vou continuar o seu trabalho, para cumprir a nossa missão para com o povo da Roménia".

O rei Miguel tinha 96 anos e morreu na Suíça.