Última hora

Última hora

A arte dos pizzaiolos napolitanos já é património imaterial da Humanidade

A arte italiana passou a integrar a lista da Unesco, mas não está sozinha. Os "Bonecos de Estremoz", também, foram classificados Património Imaterial da Humanidade

Em leitura:

A arte dos pizzaiolos napolitanos já é património imaterial da Humanidade

Tamanho do texto Aa Aa

É cozida a lenha e segue uma série de procedimentos que fazem desta, uma iguaria única no mundo. E a partir de agora, a arte dos pizzaiolos napolitanos já é Património Imaterial da Humanidade. Dizem os especialistas que o segredo não está na massa, mas no sorriso, na música e no ambiente que envolvem o processo criativo. Uma tradição que se junta, agora, à lista da Unesco.

O ministro da Agricultura italiano, Maurizio Martina, já se congratulou com o que chama de "vitória" através das redes sociais. "A identidade da comida italiana está a ser cada vez mais protegida no mundo" afirma.

Dois milhões de pessoas assinaram a petição para apoiar a candidatura de uma arte praticada em Nápoles por cerca 3 mil profissionais.

O objetivo é manter viva a pizza tradicional onde o molho de barbecue e determinados frutos não entram.

"Penso e espero que seja uma oportunidade para que as pessoas entendam como é feita a pizza, sem nutela ou ananás" refere Matteo Martino, apreciador de pizza.

Reunido na Coreia do Sul, o Comité Intergovernamental da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura decidiu, também distinguir, uma arte de caráter popular portuguesa: os “Bonecos de Estremoz” como Património Cultural Imaterial da Humanidade.