Última hora

Última hora

Protesto em Bruxelas contra visita de PM de Israel

Em leitura:

Protesto em Bruxelas contra visita de PM de Israel

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de três centenas de pessoas protestaram contra a presença do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, num pequeno-almoço informal com os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, segunda-feira, em Bruxelas.

A manifestação foi organizada pela Associação Belgo-Palestiniana, tendo um dos seus membros, Simon Moutquin, dito à euronews que “Netanyahu faz esta visita após a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel como se a Bíblia pudesse ser usada como um registo imobiliário”.

“É uma vergonha que um líder que destruiu projetos humanitários feitos pelos europeus no valor de mais de um milhão de euros seja recebido com croissants num pequeno-almoço ministerial”, acrescentou.

Os ativistas querem uma posição mais peremptória por parte da União Europeia.

“Pedimos a todos os países europeus que façam um gesto chocante em reposta ao gesto feito por Trump no que respeita a Jerusalém, ou seja, que rapidamente reconheçam o Estado da Palestina”, disse Hamdan Al Damiri.

À chegada à reunião, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, reafirmou que Jerusalém deve ser a capital partilhada de dois Estados, tal como prevêem as resoluções das Nações Unidas.

“O Governo português ficará extremamente feliz no dia em que puder reconhecer Jerusalém como a capital do Estado de Israel, transferindo a sua representação diplomática em Israel de Telavive para Jerusalém, porque esse será o exato dia em que Portugal poderá reconhecer Jerusalém como capital do Estado da Palestina e transferir a sua representação diplomática na Palestina de Ramallah para Jerusalém Ocidental”, declarou o ministro.