Última hora

Última hora

Grupo de Visegrado não quer refugiados, mas oferece dinheiro

Em leitura:

Grupo de Visegrado não quer refugiados, mas oferece dinheiro

Grupo de Visegrado não quer refugiados, mas oferece dinheiro
Tamanho do texto Aa Aa

Não querem receber refugiados ou migrantes mas, em contrapartida, oferecem 35 milhões de euros para reforçar as fronteiras da União Europeia.

A proposta da Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia foi apresentada antes do início da cimeira de líderes, quinta-feira, em Bruxelas.

“Os quatro países do grupo de Visegrado estão prontos para contribuir com uma soma considerável para ajudar a defender a fronteira externa da União Europeia e contribuir para as ações da União levadas a cabo na Líbia”, explicou Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria.

Estes países do leste europeu consideram que a migração é um tema de soberania nacional e contestaram o sistema de recolocação de refugiados por quotas, mas a nova proposta agrada ao presidente da Comissão Europeia.

“Hoje fico feliz por ver estes primeiros resultados por parte dos quatro países do grupo de Visegrado neste ponto que é importante. Esta é a prova de que estes quatro países estão totalmente alinhados com o esforço de solidariedade com a Itália e com os outros países”, disse Jean-Claude Juncker.

De recordar que a Comissão Europeia apresentou uma queixa no Tribunal de Justiça da União Europeia contra a Polónia, a Hungria e a República Checa por não aplicarem o sistema por quotas.