Última hora

Última hora

Autoridades confirmam 10 mortos em atentado reivindicado pelo Daesh

Em leitura:

Autoridades confirmam 10 mortos em atentado reivindicado pelo Daesh

Tamanho do texto Aa Aa

Dois bombistas suicidas cometeram um ataque numa igreja cristã situada no sudoeste do Paquistão, matando uma dezena de pessoas e ferindo quase sessenta, de acordo com números avançados pelas autoridades locais no final da tarde desta sexta-feira.

O ataque teve lugar em Quetta, capital da província do Baluchistão, na Igreja Metodista Bethel, onde se encontravam cerca de 400 pessoas, que assistiam à última missa antes do Natal.

Dois polícias terão matado pelo menos um dos bombistas antes do ataque. No entanto, o segundo suspeito terá conseguido detonar o engenho que transportava consigo, apesar de ferido pelos agentes. As autoridades dizem que o número de mortos poderia ter sido muito maior, caso o segundo bombista tivesse conseguido entrar igreja.

Dois suspeitos terão conseguido escapar

Um agente da polícia local disse à agência Reuters que pelo menos outros dois suspeitos de responsabilidade pelo ataque terão conseguido escapar.

O organismo definido pelos jiadistas do autoproclamado Estado Islâmico ou Daesh (sigla em árabe) como a agência oficial de imprensa do grupo, a Amaq, disse que os extremistas reivindicavam a autoria do ataque.

Esta não é a primeira vez que a minoria cristã do Paquistão - cerca de dois milhões de pessoas num país maioritariamente muçulmano sunita - é alvo de ataques. Os atentados contra a comunidade têm-se intensificado nos últimos anos.

Os jiadistas do Beluchistão e a recruta entre os locais

A província do Baluchistão é uma região estratégica para o país de 200 milhões da habitantes, na fronteira com o Irão e o Afeganistão. Grupos extremistas como os Taliban, a al-Qaeda e o Daesh têm contribuído para a instabilidade na região, assim como grupos armados formados por membros da etnia baluchi, que se envolvem em confrontos com agentes do Governo central.

Os jiadistas do Daesh criaram um grupo afiliado, ativo no Paquistão e Afeganistão e que tem conseguido recrutar militantes locais, responsáveis pelos ataques mais sangrentos cometidos no sudoeste do Paquistão nos últimos anos.

Em novembro do ano passado, um bombista suicida matou mais de 50 pessoas e feriu cerca de uma centena num templo muçulmano xiita. Em feveiro, os jiadistas do Daesh atacaram um templo sufista na província paquistaneda de Sindh, no sul do país, matando mais de 80 pessoas.