Última hora

Última hora

Departamento do Tesouro lança sanções contra líder checheno, Ramzan Kadyrov

Autoridades dos Estados Unidos acusam Kadyrov da responsabilidade em desaparecimentos de pessoas em território checheno, assim como de violações dos Direitos Humanos.

Em leitura:

Departamento do Tesouro lança sanções contra líder checheno, Ramzan Kadyrov

Tamanho do texto Aa Aa

O departamento do Tesouro dos Estados Unidos impôs sanções a vários cidadãos russos e a pelo menos dois chechenos. 

Entre os alvos das medidas de Washington encontra-se o presidente da República russa da Chechénia, Ramzan Kadyrov, por alegados atentados contra os Direitos Humanos.

As sanções relacionam-se com o desaparecimento de pessoas, de acordo com os Estados Unidos, atos que seriam da responsabilidade do Governo. 

As medidas incluem o congelamento de contas bancárias.

Para além de Kadyrov, foram alvo das sanções três cidadãos russos, por alegado envolvimento num esquema fraudulento no valor de 300 milhões de euros, que visou a agência tributária russa.

O esquema foi exposto pelo ativista Serguei Magnitsky, detido em 2009, e que acabou por morrer numa prisão de Moscovo.

O caso de Magnitsky levou à aprovação de uma lei com o nome do ativista em 2012, o que deu origem a uma retaliação da parte do Kremlin, que respondeu com uma lei que impede cidadãos dos EUA de adoptarem crianças russas.

A Lei Magnitsky já tinha imposto barreiras ao concedimento de vistos a vários russos, com alegadas responsabilidades na morte do ativista, na altura com 37 anos.

Os apoiantes de Magnitsky dizem que o Estado russo é responsável pela morte de Magnitsky ao ter-lhe negado assistência médica, depois de ter sido detido e acusado de evasão fiscal.