Última hora

Última hora

"Não estou a fazer um apelo, estou a fazer um alerta"

Em leitura:

"Não estou a fazer um apelo, estou a fazer um alerta"

reuters
Tamanho do texto Aa Aa

Um ano de secretário geral das Nações Unidas, um ano a ser das vozes mais poderosas do mundo, 2017 foi para António Guterres um ano de conflitos. O secretário geral das Nações Unidas, no último dia do ano, deixa um aviso:

"No dia do Ano Novo de 2018, não estou a emitir um apelo, estou a emitir um alerta - um alerta vermelho para o nosso mundo. Os conflitos aprofundaram-se e novos perigos surgiram. As ansiedades globais sobre as armas nucleares são as mais elevadas desde a Guerra Fria, e as mudanças climáticas estão a mover-se mais rápido do que nós. As desigualdades estão a crescer, e vemos violações horríveis dos direitos humanos. O nacionalismo e a xenofobia estão em alta, e, quando 2018 começar apelo à união".

Um apelo à união, à paz e ao combate das desigualdades mundiais. Desejos para 2018 em fomra de aviso.