Última hora

Última hora

As celebrações de Ano Novo mais perigosas

Em leitura:

As celebrações de Ano Novo mais perigosas

Tamanho do texto Aa Aa

A tradição ainda é o que era, mas cada vez mais tradições de Ano Novo revelam-se perigosas um pouco por todo o Mundo.

Na Croácia, os habituais mergulhos do primeiro dia de janeiro quase se revelavam os últimos para alguns aventureiros devido à forte agitação do mar.

Em Rijeka, um mergulhador teve mesmo de se fazer ao mar para resgatar um banhista. Este mergulhador croata conta-nos que avistou um homem a flutuar no mar e foi de imediato buscar o seu fato de mergulho para saltar para a água. Perante as condições extremas que se faziam sentir no mar, só mesmo a sua larga experiência tornou possível o salvamento.

Já em Liverpool foi um incêndio de grandes dimensões num parque de estacionamento que marcou a passagem de ano.

O fogo terá começado de forma acidental num dos veículos e consumiu mais de mil automóveis ao longo de seis horas.

Por fim, a festa de reveillon na praia de Terrigal, a norte de Sydney, na Austrália, quase acabava mal para milhares de pessoas.

O fogo de artifício planeado para a praia começou a rebentar de forma descontrolada e muitos tiveram mesmo de fugir do areal.

Dois técnicos de pirotecnia foram obrigados a saltar do barco onde estava a estrutura e tiveram de receber assistência médica.