This content is not available in your region

Decreto favorável aos leais de Erdogan provoca choque com Gul

Access to the comments Comentários
De  Luis Guita
Decreto favorável aos leais de Erdogan provoca choque com Gul

Turquia expandiu a impunidade aos leais de Recep Erdogan e as críticas ao Presidente vieram mesmo do seu ex-amigo intimo Abdullah Gul.

Na origem do choque está um dos artigos do novo decreto que prevê imunidade aos civis que foram para as ruas para frustrar a suposta tentativa de golpe de Estado de julho de 2016.

A reação do partido de Erdogan, à crítica de Gul, surgiu através do vice-presidente do AKP, Ahmet Shorgun, que deixou uma advertência: "o nosso Presidente Erdogan expressou as suas ideias sobre esse assunto de forma muito educada em Sinop e Kastamonu. Por isso, a rosa que os seus amigos lhe enviaram pode ter espinhos".

Por seu lado, Abdullah Gul usou o twetter para expressar a opinião. "A ambiguidade que viola a linguagem jurídica no decreto de emergência n. 696 é preocupante para um estado constitucional," escreveu Gül a 25 de dezembro.

Num discurso em Kastamonu, a 30 de dezembro, o Presidente da Turquia manifestou grande azedume em relação aos comentários de Gul, cofundador do AKP de Erdogan. "Vergonha". "Como conseguiu entrar no barco de Kemal?" atirou Erdogan, associando Gul a Kemal Kılıçdaroğlu, líder do CHP, principal partido da oposição.