Última hora

Última hora

A noite de ouro de "Três Cartazes à Beira da Estrada"

Em leitura:

A noite de ouro de "Três Cartazes à Beira da Estrada"

Tamanho do texto Aa Aa

"Três Cartazes à Beira da Estrada", de Martin McDonagh, foi o grande vencedor da 75.ª edição dos Globos de Ouro, ao triunfar em quatro das seis categorias para as quais estava nomeado.

A cerimónia de prémios da Imprensa Estrangeira em Hollywood, realizada este domingo em Beverly Hills, nos Estados Unidos, consagrou assim a história de uma mulher sem nada a perder e simbolizou a afirmação da coragem feminina numa noite em que Hollywood se vestiu de preto em solidariedade com as mulheres vítimas de assédio sexual.

Frances McDormand, de 60 anos, venceu o globo de ouro de melhor atriz na categoria Drama e foi o principal rosto do sucesso da obra de Martin McDonagh, que venceu ainda os prémios de melhor filme drama, melhor ator secundário (Sam Rockwell) e melhor argumento.

Em destaque esteve também "A Forma da Água", que deu ao realizador Guillermo del Toro o seu primeiro globo de ouro. O cineasta mexicano, autor de películas como "O Labirinto do Fauno", venceu o cobiçado prémio com uma fantasia sobre a relação entre uma mulher muda e uma criatura anfíbia num laboratório secreto na América dos anos 60.

O filme, que tem Sally Hawkins e Michael Shannon nos principais papéis, viu também a banda sonora de Alexandre Desplat ganhar um Globo de Ouro.

Nas interpretações masculinas há a destacar ainda as vitórias do britânico Gary Oldman, que conquistou o prémio de melhor ator de drama pelo papel em “A Hora Mais Negra”, enquanto James Franco venceu como melhor ator de comédia por “Um Desastre de Artista”.

Já na categoria comédia ou musical, o prémio de melhor atriz foi para a jovem Saoirse Ronan, de 23 anos, pelo seu papel em "Lady Bird". À terceira nomeação para os prémios da imprensa estrangeira em Hollywood, a atriz de ascendência irlandesa finalmente venceu o seu primeiro globo e está na rota para uma possível nomeação aos óscares.

"Lady Bird", de Greta Gerwig, festejou também a vitória na categoria de melhor comédia ou musical e retrata o amadurecimento de uma adolescente e a sua relação com a mãe.

Quanto aos melhores filmes estrangeiros, o Globo de Ouro foi para a Alemanha com "Uma Mulher Não Chora". A película bateu o favoritismo de "O Quadrado", o filme sueco que tinha arrebatado o Festival de Cannes e os prémios da Academia Europeia de Cinema, e está entre os nove finalistas para a seleção para os Óscares.

A obra de Fatih Akin, com Diane Kruger como protagonista, conta a história de luto e vingança de uma mulher que perde o marido e o filho num atentado bombista.

Do cinema para a televisão, "Big Little Lies" foi a grande vencedora entre as minisséries, ao arrecadar quatro globos de ouro: melhor minissérie, melhor atriz principal (Nicole Kidman), melhor atriz num papel secundário (Laura Dern) e melhor ator num papel secundário (Alexander Skarsgard).

A história criada por David E. Kelley e realizada por Jean Marc Vallée retrata as vidas aparentemente perfeitas de três mães até que uma morte vem agitar o seu quotidiano de pequenas mentiras.

Mais sobre cinema