Última hora

Última hora

Leite contaminado foi "exportado para 65 países"

Em leitura:

Leite contaminado foi "exportado para 65 países"

Tamanho do texto Aa Aa

Comportamentos inaceitáveis que devem ser sancionados, palavras do ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, que convocou as empresas distribuição e a direção da Lactalis, a empresa na origem do leite de bebé contaminado. o responsável do governo anunciou a fiscalização suplementar em 2500 estabelecimentos.

Mas o problema parece ir além-fronteiras, como explica o presidente de uma associação das vitimas do leite contaminado, Quentin Guillemain.

"Temos que perceber que estes produtos foram distribuídos no mundo inteiro e ai falamos de 65 países, por isso temos que saber o paradeiro das latas de leite infantil. Porque estamos a falar de vários milhões de latas, de dezenas de milhões de caixas e atualmente não sabemos onde estão. E por isso, gostaria de dizer aos telespetadores, em especial os que não são franceses e que não vivem o escândalo todos os dias, para não consumirem esse leite. Se tiver esse tipo de leite - e podemos identificar - são das marcas Picot e Milumel, aconselhamos a não consumir porque há de facto um perigo para a saúde da criança", afirmou.

"Há um primeiro decreto sobre os primeiros 620 lotes retirados do mercado, um decreto de Bruno Le Maire, que proíbe a exportação destes 620 lotes, mas os 720 que de seguida foram proibidos em França não estão interditados à exportação. Então quer dizer que continuam potencialmente a ser exportados. E nós perguntaríamos também ao governo onde estão estas dezenas de milhões de caixas (e não sabemos qual é exatamente o número), porque temos que parar de as vender ao estrangeiro. Temos que saber onde andam estas caixas, e se elas foram de facto destruídas, se foram recolhidas e se os consumidores dos outros países foram informadas para o facto de poderem estar potencialmente contaminadas", concluiu.