Última hora

Última hora

Cada vez mais migrantes tentam atravessar os Alpes com temperaturas negativas

Em leitura:

Cada vez mais migrantes tentam atravessar os Alpes com temperaturas negativas

Tamanho do texto Aa Aa

"Não sabia que a neve queimava"

As palavras são de Mamadou Bam, migrante do Mali, depois de ter perdido os pés ao tentar atravessar os Alpes. 

"Chegamos lá...e ficamos bloqueados pela neve. Não conseguimos chegar a lado algum. Não podíamos voltar para trás nem sequer ir em frente. Tentei levantar-me, caí, tentei levantar-me outra vez e caí novamente. Os meus pés estavam congelados até ao joelho, não conseguia sentir nada."

Como Mamadou há centenas de migrantes a fazer o mesmo percurso, todos os dias, em pleno inverno.

Na fronteira francesa, durante a noite, as temperaturas podem chegar aos - 10ºC. 

Algumas equipas de voluntários tentam socorrer quem encontram a meio do percurso. As autoridades temem os próximos meses.

"Os migrantes que insistem em passar estão cada vez a arriscar mais e, se as coisas continuarem assim, acho que haverá mais mortes neste Inverno.", disse um dos voluntários. 

Estima-se que nos últimos quatro meses 1600 migrantes tenham tentado cruzar os alpes pelo sul da França.