Última hora

Última hora

Protesto junta 300 mil pessoas em Salónica

Em leitura:

Protesto junta 300 mil pessoas em Salónica

Tamanho do texto Aa Aa

A imagem aérea mostra a dimensão do protesto que ocorreu este domingo em Salónica, a segunda maior cidade grega.

"Não toquem na Macedónia"

Cerca de 300 mil pessoas decidiram protestar contra o uso do nome Macedónia em referência ao estado independente da Antiga República Jugoslava da Macedónia.

Ergueram-se bandeiras e cartazes, para que se distinga oficialmente as duas Macedónias, a região grega e FYROM, estado vizinho e independente.

"Estamos todos aqui para gritar bem alto que a Macedónia é uma e é grega. A Macedónia está na Grécia e estamos a demonstrar o nosso voto contra o país vizinho, contra a irresponsabilidade e contra o nosso país." , disse um dos manifestantes.

"Não há motivo para discutir o evidente. Os eslavos vieram muito tempo depois de Alexandre o Grande e não têm nada a ver com a cultura da Grécia", admitiu um dos protestantes que viajou até à cidade de propósito para se manifestar contra o governo. 

Reuters

A revolta da troca de nomes existe desde sempre, surge agora com mais intensidade depois dos governos quererem terminar com o problema, que bloqueou as tentativas da ex-República Jugoslava de aderir à União Europeia.

Kosta Karaiskos, manifestante grego, acredita que se não se respeitar a história de cada nação, não haverá acordo:

"Nós não pensamos que seja realista que seja encontrada uma solução. Eles, a Antiga República da Jugoslava da Macedónia têm que retirar tudo o que aponte para políticas agressivas e para um desfalque da nossa história antiga, por isso, só com estas bases é que se conseguirá uma conversa significativa."

O chefe de estado grego e o homólogo da Antiga República Jugoslava da Macedónia vão reunir-se no fim do mês para discutir o tema.