Última hora

Última hora

Os melhores judocas afirmam-se no Grand Slam de Paris

Em leitura:

Os melhores judocas afirmam-se no Grand Slam de Paris

Tamanho do texto Aa Aa

O Grand Slam de Paris é uma das competições onde todos os judocas sonham conquistar uma medalha.

O primeiro dia de prova, sábado, foi marcado pela vitória da atual campeã do mundo, a francesa Clarisse Agbegenenou. Em -63 Kg, Clarisse fez as alegrias do público da casa ao bater a japonesa Tashiro Miku na final.

Agbegenenou nunca pareceu sentir-se ameaçada. Depois de conseguir a liderança com waza ari ... Agbegnenou queria ganhar em estilo. E foi o que fez, com um enorme ippon deu por encerrada a competição e arrecadou mais uma medalha de ouro, a quarta no seu historial de combates no Grand Slam de Paris.

Depois de ter sido prata no Grande Prémio de Tunes, o kosovar Akil Gjakova confirmou o excelente momento de forma ao bater na final de -73 Kg o campeão olímpico de 2012, Lasha Shavdatuashvili, da Geórgia, por waza ari.

Ainda na competição masculina, a registar o sétimo lugar do português João Crisóstomo em -66kg, e do quinto lugar do brasileiro Phelipe Pelim em - 60Kg

Aos 17 anos, a fenomenal Daria Bilodid continua o assalto aos rankings. Em Paris, a judoca ucraniana arrecadou o ouro em -48 Kg.

Depois de se impor face à campeã do mundo, Tonaki Funa, do Japão, na meia-final, Bilodid mostrou grande capacidade de luta na final frente à coreana Kang Yu Jeong. Primeiro indo à procura de waza ari e depois aplicando a técnica que já começa a tornar-se na sua marca registada: Sangaku Gatame.

Outra jovem que está a afirmar-se no mundo do judo é a japonesa Abe Uta que enfrentou a favorita Amandine Bouchard. Três penalizações de Bouchard ditaram a vitória de Uta em -52 Kg. Na categoria, a portuguesa Mariana Esteves foi sétima.

O movimento do dia tem a assinatura de Yoshida Tsukasa, um clássico uchimata da japonesa sobre a portuguesa Telma Monteiro, que terminou na sétima posição