Última hora

Última hora

Militares juntam-se às investigações do caso Skripal

Em leitura:

Militares juntam-se às investigações do caso Skripal

Tamanho do texto Aa Aa

As forças armadas britânicas juntaram-se às investigações sobre a tentativa de homicídio de Sergei Skripal. Cerca de cem militares colaboram com a polícia em Salisbury, no Sul de Inglaterra.

Em comunicado, a unidade antiterrorista da polícia explicou que pediu o apoio dos militares para retirar uma série de veículos e objetos do centro da cidade.

Skripal e a filha foram encontrados inconscientes num banco de um centro comercial mas as últimas buscas e análises forenses, feitas na casa do antigo espião, apontam para que possa ter sido ali que aconteceu o envenenamento com gás nervoso

Amber Rudd, ministra britânica do interior, visitou o local das investigações.

“Compreendo a curiosidade das pessoas sobre todas estas questões e a vontade de ter respostas. Haverá uma altura para responder a todas as perguntas. Mas a melhor forma de chegarmos a esse ponto é dar todo o espaço e apoio necessários para que a policia possa analisar os locais e provas com tempo e com cuidado”.

Três pessoas continuam no hospital: o antigo espião, a filha e o polícia que os tentou ajudar.

Há ainda 21 pessoas que tiveram de receber assistência médica por sintomas de intoxicação.