Última hora

Última hora

Estudantes viram as costas a Donald Trump

Em leitura:

Estudantes viram as costas a Donald Trump

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de estudantes norte-americanos viraram, literalmente, as costas ao inquilino da Casa Branca, em Washington. Um protesto contra as armas de fogo no país que durou 17 minutos para lembrar cada uma das vítimas do mais recente tiroteio numa escola no estado da Florida.

Os manifestantes apontam o dedo ao poder político norte-americano e à NRA, Associação Nacional de Armas que acusam de promover a violência.

"Estamos a virar as costas às pessoas que não nos apoiam. Queremos chamar a atenção dessas pessoas e queremos nos representem na nossa luta" refere uma estudante.

"Queremos que dispositivos bump-stock sejam banidos, que as armas semiautomáticas sejam proibidas em todos os estados, que nossos congressistas deixem de receber dinheiro da NRA. E, finalmente, e mais importante, queremos que as verificações de antecedentes criminais sejam reforçadas para seja difícil obter uma arma." adianta outro estudante.

De norte a sul do país foram muitos os que saíram à rua para dizer basta à violência e exigir medidas para controlar o acesso a armas de fogo. Alunos, professores e funcionários de centenas de escolas secundárias, liceus e universidades aderiram ao protesto.

A Florida adotou, recentemente, leis mais restritas para a compra de armas. Uma decisão que já está a ser contestada na justiça pela Associação Nacional de Armas. Donald Trump que, inicialmente, sugeriu aumentar a idade mínima para comprar armas de fogo acabou por recuar devido à posição assumida pela NRA e remeteu a decisão para os estados.