Última hora

Última hora

Português ferido no ataque "terrorista" em França

Em leitura:

Português ferido no ataque "terrorista" em França

© Copyright :
REUTERS/Regis Duvignau
Tamanho do texto Aa Aa

Atacante abatido, mortos, feridos e a revindicação do grupo Estado Islâmico - foi assim que terminou a tomada de reféns por parte de um marroquino francês no sul de França esta sexta-feira.

O jovem de 26 anos começou por assaltar um carro de manhã - matou com um tiro na cabeça um passageiro e feriu gravemente o condutor, emigrante português - em Carcassonne. Na fuga atirou sobre um gendarme no ombro. Depois refugiou-se num supermercado onde disparou e matou duas pessoas antes de fazer reféns.

O assalto por parte das forças da ordem foi uma questão de tempo. "O tenente-coronel da Guarda Nacional, que estava com os seus homens, voluntariou-se para substituir um refém que estava nas mãos do agressor. Então ele ficou lá, o terrorista disparou, o GiGN interveio e abateu-o", explicou o ministro do Interior, Gerard Collomb.

Collomb confirma que o homem tinha 26 anos, era de origem marroquina chamado Redouane Lakdim conhecido pelas autoridades por tráfico de droga. "Nós estivemos a segui-lo e pensámos que não havia radicalização. Ele agiu de repente quando já estava sob vigilância", garantiu.

De acordo com testemunhas, o atacante jurou pertencer ao grupo Estado Islâmico e exigiu a libertação de Salah Abdeslam , um dos autores dos ataques de Paris em novembro de 2015 onde morreram 130 pessoas.

Depois da operação estar concluída, o grupo Estado Islâmico reivindicou este ataque que no final se saldou em 3 mortos e quatro feridos.

Português ferido em Estado grave

Um português de 27 anos, residente nos arredores da cidade de Carcassonne, está em estado "grave" na sequência de disparos pelo autor do atentado terrorista desta manhã no sul de França, de acordo com um amigo da família.

Manuel Correia, amigo do jovem e da sua família, confirmou à Lusa que o português estava a conduzir o seu carro, quando o atacante disparou, vitimando mortalmente o passageiro que seguia ao seu lado.

"Foi quando ele ia a conduzir, mandaram parar, deram-lhe um tiro a ele, outro ao colega, o colega morreu, ele ficou ferido. Roubaram-lhe o carro e depois é que foram para o supermercado", contou, adiantando que tudo o que sabe é o estado dele "é grave".

Manuel Correia adiantou, ainda, que o jovem, originário de Coimbra, está em França "há uns dois anos" e que os pais emigraram há mais tempo.

"Bom, tratar-se de um português trata. Agora o que se passou realmente, realmente não sei muito a fundo. Tem 27 anos, vive ao lado de Carcassonne. Ele agora não estava a trabalhar ultimamente, estava a fazer formação na hotelaria", afirmou.

(Com Lusa)