Última hora

Última hora

Turquia, Rússia e Irão defendem conversações de Astana

Em leitura:

Turquia, Rússia e Irão defendem conversações de Astana

Tamanho do texto Aa Aa

Os líderes iraniano, turco e russo encontraram-se em Ancara na quarta-feira. Rohani, Erdogan e Putin querem "encontrar a paz para a Síria."

O presidente da Turquia defendeu a "estabilidade do país" e a necessidade de controlar as milícias curdas:

"A manutenção da integridade territorial síria depende na nossa capacidade de manter a distância de todas as organizações terroristas", disse Erdogan.

"É muito importante que todas as organizações terroristas que ameaçam a Síria, a Turquia e os países vizinhos e mesmo a região, sejam excluídas, sem exceções", continuou.

Putin, por seu lado, insistiu aos jornalistas na capacidade operativa do trio, à margem das Nações Unidas:

"Todos falam na necessidade de participar na ajuda humanitária. Mas poucos o fazem, com execeção da Turquia, Irão e Rússia."

"Vemos pequenas entregas das Nações Unidas, mas não chega. Todos devem unir-se aos esforços conjuntos para restaurar a economia e as infraestruturas da Síria."

Putin, Erdogan e Rohani defenderam as conversações de paz para a Síria em Astana, no Cazaquistão, um processo à margem das conversações auspiciadas plas Nações Unidas.

As conferências de Astana começaram em janeiro de 2017.