Última hora

Última hora

As potencialidades empresariais do Galileo

Em leitura:

As potencialidades empresariais do Galileo

Tamanho do texto Aa Aa

O sistema de navegação europeu Galileo representa uma janela de oportunidade de negócio para diversas pequenas e médias empresas (PME). O Observatório Real da Bélgica é um dos locais onde é possível descobrir algumas destas potencialidades.

Há 20 anos ligada ao projeto Galileo e agora líder da unidade, Ekaterini Kavvada explicou-nos que este é "o sistema europeu de navegação por satélite de última geração com recursos exclusivos que nenhum outro sistema oferece."

"Está operacional desde 2016 e disponível gratuitamente para serviços comerciais, governamentais, mercados de massas e operações de busca e resgate", acrescentou.

Encontrámos um exemplo da aplicação do Galileo na Bélgica, onde um drone profissional de última geração é capaz de efetuar medidas com precisão ao centímetro. Está equipado com recetores dos sinais do Galileo.

Os recetores são caixas desenvolvidas e fabricadas pela Septentrio, uma PME belga fundada há 18 anos e que também participou no desenvolvimento do sistema de navegação europeu.

Os recetores desenvolvidos pela Septentrio têm diversas aplicações. Além dos drones também são usados em sistemas de alerta de sismos, na construção ou no setor mineiro.

"Quando digo que o Galileo é o melhor sistema do mundo, refiro-me ao facto de ser o sistema de navegação mais preciso e também o mais seguro. Quando quero encontrar a localização de um carro autopilotado, quero ter a certeza absoluta de que é o local correto", disse-nos Antoon de Proft, diretor executivo da Septentrio.

Dados gratuitos combinados com os de outros sistemas de navegação promove o mercado em plena mutação e esta PME beneficia dessa dinâmica.

"Estamos a crescer 30 a 40 por cento por ano. Estamos a contratar muita gente e a expandir-nos em termos geográficos. Acabámos de abrir um escritório no Japão e outro na China. Esta é uma área muito excitante e na qual estamos muito ativos", revelou Antoon.

Ekaterini Kavvada destaca-nos dois números para melhor entendermos as potencialidades do Galileo: "No mercado global há mais de cento e vinte mil milhões de aplicações hoje em dia. Esperamos que dobre nos próximos cinco anos. O número de dispositivos em uso por todo o mundo é de seis mil milhões hoje e estimamos chegar aos oito em 2020, ou seja, mais dispositivos do que pessoas", antecipa.

Como é que um empreendedor pode ser ajudado e acompanhado para poder tentar o sucesso nestes novos mercados?

"O objetivo da comissão é claro: apoiar ativamente as PME e as 'start up' europeias com várias medidas, iniciativas, programas e em especial com instrumentos financeiros", sublinha a chefe da unidade europeia ligada à cooperação internacional através do Galileo.