This content is not available in your region

Mark Zuckerberg pede desculpa por "erros" do Facebook

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho  com LUSA
Mark Zuckerberg pede desculpa por "erros" do Facebook
Direitos de autor  REUTERS/Leah Millis

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, vai pedir desculpa na audiência do Congresso dos Estados Unidos pelos escândalos à volta da rede social, nomeadamente o caso Cambridge Analytica, no qual mais de 87 milhões de perfis foram usados para condicionar resultados eleitorais, como a interferência russa nas eleições americanas de 2016.

O líder da maior rede social do mundo adiantou que já estão a ser tomadas medidas, mas Congresso e Senado desconfiam da sua eficácia.

"Se não tomarmos cuidado com as redes sociais, as plataformas como o Facebook, e os erros que eles cometeram no passado, nenhum norte-americano terá mais privacidade", afirmou o senador democrata Bill Nelson.

Entretanto, o Congresso divulgou antecipadamente o depoimento de Mark Zuckerberg. Na sua mensagem, o CEO assume que a rede social não fez o suficiente para evitar diversos aspetos negativos. Entre estes realçou as notícias falsas, a inteferência externa em eleições e o acesso de aplicações a dados privados dos utilizadores.

Na sequência deste escândalo, outros órgãos nacionais e internacionais pediram esclarecimentos a Mark Zuckerberg para prestar esclarecimentos. Foi o caso do Parlamento Europeu e do Parlamento do Reino Unido. Nos dois casos, o convite foi recusado.

Na última semana, a Comissão Europeia afirmou ter tido indicações do Facebook de que os dados de mais de dois milhões de utilizadores da rede social a residir na União Europeia poderiam ter sido transmitidos de "forma inapropriada” à empresa Cambridge Analytica.

Em Portugal, o número de utilizadores afetados poderá rondar os 63 mil.