Mark Zuckerberg admite que dados pessoais foram usados por terceiros

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
Mark Zuckerberg admite que dados pessoais foram usados por terceiros
Direitos de autor  REUTERS/Leah Millis

Privacidade, regulação da internet e o escândalo Cambridge Analytica voltaram a ser os temas dominantes na segunda audiência de Mark Zuckerberg, esta quarta-feira, na Câmara dos Representantes, no Congresso dos Estados Unidos.

No total, o fundador do Facebook prestou contas durante cerca de dez horas e mesmo assim deixou algumas perguntas sem resposta; entre essas, destacaram-se as dúvidas deixadas sobre a quantidade de dados recolhidos dos utilizadores e até mesmo de pessoas que estão online, mas sem ter a sua conta aberta na rede social.

Paralelamente, Mark Zuckerberg revelou também - quando confrontado pela congressista Anna Eshoo, que os seus dados pessoais foram, à semelhança do que aconteceu com mais 87 milhões de utilizadores, usados de forma indevida por outras companhias. Zuckerberg limitou-se a responder com um "sim", mas não adiantou mais esclarecimentos.

O líder do Facebook admitiu também que o setor irá precisar de alguma regulação, mas evitou concretizar o tipo de legislação necessária.

A terminar, Mark Zuckerberg revelou que a investigação sobre as aplicações que utilizaram dados de utilizadores indevidamente vai demorar muitos meses.