Última hora

Última hora

Projeto Daphne, seis meses depois da morte da jornalista

Em leitura:

Projeto Daphne, seis meses depois da morte da jornalista

Projeto Daphne, seis meses depois da morte da jornalista
Tamanho do texto Aa Aa

Foi há seis meses que Daphne Caruana Galizia foi assassinada em Malta. A jornalista de investigação foi vítima de um carro armadilhado.

Galizia analisava redes de corrupção no arquipélago maltês e a sua morte o pequeno Estado membro da União Europeia em em estado de choque.

O assassinato provocou também uma onda de indignação por toda Eeuropa.

Mas o trabalho de Galizia não foi em vão, já que um grupo jornalistas leva a cabo o Daphne Project, um projeto que vai dar continuidade ao trabalho de investigação realizado pela jornalista.

O Daphne Project promete não só publicar os trabalhos que ficaram na gaveta por causa da morte de Galizia, mas também dar continuidade às linhas de investigação da repórter.

No entanto, muitos são os que criticam os poderes poíticos malteses, dizendo que as pessoas investigadas por Daphne Galizia são agora quem se encarrega de investigar quem a matou.

Há, até agora, seis suspeitos de responsabilidade pelo crime, ainda que todos neguem as acusações. A Justiça maltesa procura ainda, por outro lado, estabelecer o motivo para o atentado.