Última hora

Última hora

Os desafios do novo presidente cubano

Em leitura:

Os desafios do novo presidente cubano

Tamanho do texto Aa Aa

Cuba acorda com um novo presidente. Os irmãos Castro ficam para trás mas espera-se continuidade na governação conduzida por Miguel Díaz Canel. O chefe de Estado herda um país onde os desafios são muitos:

"Começa agora um mandato fundamental. Não só porque é novo, mas porque o presidente tem nas mãos um país em condições económicas e sociais muito difíceis. Ele tem um programa de reformas mas é complicado", refere Aurelio Alonso, jornalista da revista Casa de Las Américas.

Nos últimos anos, a jovem sociedade cubana conseguiu superar alguns desafios como o do acesso à internet. Ainda assim, não se pode falar de um país aberto já que a liberdade de expressão, incluindo nos meios de comunicação, é ainda reduzida. Os "média" alternativos, através da internet, vão surgindo mas não sem desafios:

"Há alguns meses circulou um vídeo no qual Diaz Canel considerava que os "média" alternativos, em Cuba, eram uma ferramenta subversiva criada no estrangeiro. Essa é uma opinião muito preconceituosa, não baseada em factos e é desprezível porque mostra que ainda não se entendeu que dentro da sociedade cubana se procura a mudanças e conteúdos como aqueles que nós escrevemos e da forma que os tratamos", adianta José Jasán, jornalista do periódico online El Toque.

Uma sociedade que anseia pela mudança mas que não espera de Canel grandes novidades, pelo menos para já:

"Os cubanos não esperam grandes mudanças durante os primeiros meses da presidência de Miguel Díaz Canel.

O novo presidente seguirá uma agenda política, pelo menos nos próximos cinco anos, que seguirá a mesma linha que Raul Castro, que continuará como presidente do partido comunista.

Um cargo que muitos aqui creem que tutelará politicamente a presidência de Díaz Canel", explica o correspondente da euronews em Havana, Héctor Estepa.