Última hora

Última hora

"Herói do povo arménio" preparado para governar

Em leitura:

"Herói do povo arménio" preparado para governar

Tamanho do texto Aa Aa

Eram centenas os que esperavam à porta do encontro, na cidade de Guiumri, entre o primeiro-ministro interino da Arménia e o homem que fez cair o poder. O chefe do executivo não apareceu para negociar. E o chamado "candidato do povo", Nikol Pachinian, surgiu com o seu ar habitualmente descontraído para explicar aos jornalistas como se faz uma revolução neste país.

"O nosso movimento não é contra ninguém em específico. O nosso movimento é contra o sistema atual, que consideramos corrupto, injusto e ilegal. Não ficaremos satisfeitos até conseguirmos mudanças concretas na Arménia", declarou.

Pachinian lidera uma contestação que não para de crescer e que conseguiu afastar o todo-poderoso primeiro-ministro Serge Sarkissian. Transformado para muitos numa espécie de "herói popular", afirma agora estar preparado "para dirigir o país" para fora do caminho da pobreza e corrupção.

"A demissão de Serge Sarkissian não chega para mudar a Arménia. A questão não tem a ver com as manifestações. Isto é como se fosse um despertar. As pessoas acordaram e agora exigem mais liberdade e transparência do governo", afirma Greg Grigoryan, ativista do movimento "Reject Serzh".

Todas as atenções se centram nas eleições legislativas do próximo dia 1 de maio e no que virá depois, uma vez que Nikol Pachinian garante que não vai aceitar qualquer candidato do Partido Republicano de Sarkissian.