Última hora

Última hora

Balcãs na cauda da economia europeia

Em leitura:

Balcãs na cauda da economia europeia

Tamanho do texto Aa Aa

A região dos Balcãs Ocidentais, e de acordo com estatísticas, tem a mais baixa percentagem de desenvolvimento económico da Europa. Uma das razões para este atraso é a má qualidade das infraestruturas de transportes. Esta questão está em cima da mesa na cimeira dos Balcãs, que decorre em Sófia, na Bulgária:

"As nossas estradas, numa escala de 1 a 5, estão no 1, são horríveis. Na Europa, as chamadas estradas nacionais são melhores do que as nossas que estão cheias de buracos", explica o camionista Nedelkov Ivica.

Uma situação perigosa para quem faz da estrada o seu trabalho, mas não apenas para os camionistas. Um choque para um grupo de ciclistas:

"Há vários perigos. Não há espaço para ultrapassagens. Os túneis não estão iluminados mas, ainda assim, conseguimos atravessar algumas estradas secundárias", diz um ciclista francês.

A juntar às más condições das estradas há os controlos fronteiriços que também criam problemas:

"Não tem lógica Esperar 5, 6, 7 ou 8 horas para passar a fronteira, 500 metros. A pé é muito mais rápido", desabafa o camionista.

A segurança também é um problema. A atual crise dos migrantes torna os camionistas alvos fáceis no tráfico.

"Há colegas multados em 2000 ou 3000 euros, embora não seja culpa deles. Há um que para, fica numa fila, na fronteira, os migrantes entram no seu camião e depois é multado pelos croatas. Não tem lógica, a culpa não é nossa", explica o mesmo profissional.

Todos estes problemas fazem com que as empresas de transportes da região não sejam competitivas no mercado europeu.

"Os problemas que temos, em termos de infraestruturas de transportes, bem como as outras questões estruturais do comércio local, influenciam diretamente as despesas de transporte, para as empresas, o que não as torna atrativas a nível da Europa", explica Biljana Muratovska, da Federação dos Transportadores.