Última hora

Última hora

"Estado da União": diferendos UE-EUA no Médio Oriente

Em leitura:

"Estado da União": diferendos UE-EUA no Médio Oriente

"Estado da União": diferendos UE-EUA no Médio Oriente
Tamanho do texto Aa Aa

A mudança da embaixada dos EUA de Telavive para Jerusalém foi anunciada por Israel como um sinal de paz, mas, por essa altura, o exército de Israel matou dezenas de manifestantes palestinianos na fronteira com Gaza.

A embaixadora dos EUA na ONU classificou as vítimas de “terroristas” e disse que Israel mostrou notável moderação. Uma posição que mostra o contraste com a posição da União Europeia, que evita tomar partido por uma das partes.

Este é o tema de abertura do “Estado da União”, programa que passa em revista a atualidade europeia semanal, apresentado por Stefan Grobe, em Bruxelas.

A decisão do presidente Donald Trump de abandonar o acordo nuclear com o Irão, que os europeus querem manter a todo custo, é outro diferendo entre os EUA e a União Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse, mesmo, que o “amigo” norte-americano se está a comportar com um adversário europeu.

Destaques na agenda da próxima semana:

- 22 de maio: O presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, visita Bruxelas para uma sessão à porta fechada copm os líderes dos grupos políticos do Parlamento Europeu.

- 24 de maio: Cimeira Europeia de Negócios, em Bruxelas, com a cerimónia dos Prémios de Liderança Europeia.