Última hora

Última hora

Os galardoados dos Prémios ELA 2018 para a Liderança Europeia

Em leitura:

Os galardoados dos Prémios ELA 2018 para a Liderança Europeia

Tamanho do texto Aa Aa

A cerimónia de entrega dos Prémios ELA para a Liderança Europeia 2018 (European Leadership Awards), uma iniciativa Euronews, em parceria com a Cimeira Europeia dos Negócios (European Business Summit), teve lugar em Bruxelas, esta quarta-feira.

Foi no Palácio d'Egmont, na capital belga, que figuras destacadas do mundo da política, da comunicação e dos negócios, receberam os galardões.

Homenagem a Daphne Caruana Galizia

Os primeiros a receberem um prémio em forma de homenagem póstuma foram os filhos da jornalista de investigação maltesa Daphne Caruana Galizia, assassinada no passado mês de outubro.

Coube ao presidente do Parlamento Europeu, Antono Tajani, entregar o prémio, um reconhecimento pela contribuição pelo trabalho de Caruana Galizia em prol dos valores europeus, nomeadamente, a liberdade de imprensa.

Reuters
Daphne Caruana Galizia, jornalista de investigação maltesa assassinada em outubro do ano passado, recebeu uma homenagem póstuma. O prémio foi entregue aos filhos por Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu. Reuters

Os premiados por categorias

O prémio para o Líder Europeu do Ano foi para Emmanuel Macron, presidente da República Francesa, entregue pelo diretor-geral da Euronews, Michael Peters. Entre os finalistas encontravam-se também Angela Merkel, chanceler alemã e Marghethe Vestager, comissária europeia para a Concorrência.

O prémio para Diretor Executivo Europeu do Ano foi para Edyta Kocyk, fundadora da SiDley em 2014, pela contribuição para os diagnosticos médicos com a sua bracelete eletrónica. Entre os finalistas encontravam-se também Ana Botín, diretora do Grupo Santander, o maio banco europeu por quota de mercado, pela sua estratégia de aquisições e Lisa Lang, uma player no mundo da inovação digital, coma ElektroCouture, fundada em 2014. Lang é considerada como uma das 100 maiores influencers no mundo da tecnologia.

Reuters
Edyta Kocyk, fundadora da SiDly, venceu o prémio de Diretora Executiva Europeia do Ano. Reuters

O prémio para o Empreendedor Europeu do Ano foi para Boyan Slat, fundador de Ocean Clean Up, com apenas 23 anos. Entre os outros finalistas, o português António Lucena de Faria, que fundou a primeira empresa aos 15 anos e fundador também da Fábrica de Startups, especializada na assistência a novas empresas portuguesas e brasileiras, especializadas em energias renováveis e no setor da urbanização.

O terceiro finalista era Semiat Kowski, que fundou um portal de pagamento online, apenas com 23 anos.

Reuters
O português António Lucena de Faria, da Fábrica de Startups, era um dos finalistas. Reuters

O prémio para o Inovador Europeu do Ano foi para Kristzian Imre, o inventor do EVA, Extended Visual Assistant, um par de óculos controlado pela voz que converte imagens e som em texto para os deficientes visuais.

Os outros dois finalistas eram Max e Allen Mohamadim, dois irmãos sueco-iranianos que inventaram a primeira tecnologia com inteligência artificial que permite diagnosticar problemas no coração, e o professor Anibal Ollero, líder da Robotics Division da Universidade de Sevilha, que leva a cabo um projeto de investigação com capacidades altamente avançadas.

O prémio para a Personalidade Europeia do Ano foi para Florin Badita, fundador do portal Corruption Kills, e ativista anti-corrupção na Roménia.

Os outros dois finalistas eram Andras Fekete-Gyor, ativista, advogado e político, líder do Movimento Momentum, uma coligação para a democracia na Hungria, e Barbara Nowacka, ativista e política, líder da Iniciativa Polónia e uma das líderes da Esquerda Unida, que luta pela liberalização das leis do aborto na Polónia.