Última hora

Última hora

"The Cleaners", a reflexão sobre a limpeza digital na Internet

Em leitura:

"The Cleaners", a reflexão sobre a limpeza digital na Internet

Tamanho do texto Aa Aa

A cada minuto, 500 horas de vídeo são carregadas no Youtube, 450.000 tweets são escritos no Twitter e 2,5 milhões de posts são publicados no Facebook.

O documentário alemão "The Cleaners" desvenda um pouco da indústria oculta de limpeza digital, na qual a Internet apaga conteúdos violentos, pornográficos ou de natureza política.

Sem uma relação direta com os gigantes Facebook, Youtube ou Twitter, os funcionários destas empresas, na sua maioria sedeadas nas Filipinas, são treinados para decidir em segundos o que fica e o que sai da Internet.

Para o realizador da película, Moritz Riesewieck, esta situação levanta questões sobre que critérios sustentam estas operações e que impacto pode ter na sociedade.

"Este público virtual não está organizado de forma democrática - quem ou o que pode ter voz on-line não é decidido por uma maioria, não é decidido por um parlamento ou uma instituição como no mundo analógico e democrático. É decidido por um pequeno círculo de pessoas em Sillicon Valley que deixa nas mãos de jovens filipinos a responsabilidade de fazer esse controlo", afirma à Euronews o cineasta germânico.

"The Cleaners" teve a sua estreia no prestigiado Festival de Sundance e tem colecionado prémios desde então. O documentário está já nos cinemas da Alemanha e Holanda e deve chegar a mais países em junho, estando em negociações a sua distribuição nos Estados Unidos e Canadá.

Mais sobre cinema