Última hora

Última hora

Acusado de assédio, Morgan Freeman pede desculpa se ofendeu alguém

Em leitura:

Acusado de assédio, Morgan Freeman pede desculpa se ofendeu alguém

© Copyright :
REUTERS/Lucas Jackson
Tamanho do texto Aa Aa

Morgan Freeman está a ser acusado de comportamento inadequado ou assédio por pelo menos oito mulheres.

O caso ainda não terá chegado à justiça, mas já está a ter impacto negativo na carreira do premiado ator, vencedor de um Óscar para melhor ator secundário em 2005 pelo desempenho em "Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos."

A denúncia partiu de uma reportagem da estação de televisão americana, CNN, e teve por base entrevistas a dezasseis pessoas, algumas das quais acusaram o ator de oitenta anos de ter tido comportamentos inapropriados também no seio da sua produtora, a Revelations Entertainment.

Chloe Melas, uma das jornalistas responsáveis pela investigação, alega que várias das mulheres entrevistadas "alegam ter recebido de forma consistente comentários sobre o corpo delas e as respetivas escolhas de vestuário".

"Pelo menos oito dizem ter sido vítimas de assédio ou de comportamento inapropriado. Duas destas dizem ter sido sujeitas a toques não desejados por parte de Freeman", relatou a jornalista numa entrevista com a colega Brooke Baldwin, no respetivo canal de televis[ão.

O caso surge na sequência de dezenas de outras denúncias contra profissionais de Hollywood, tendo o produtor Harvey Weinstein e o também ator Kevin Spacey à cabeça, numa vaga expressa nas redes sociais da internet pela "hashtag" #MeToo.

Na reportagem foram incluídos vídeos registados em encontros de Morgan Freeman com jornalistas, na promoção de filmes, nas quais se ouve o ator tecer alguns galanteios às entrevistadoras.

Os vídeos em causa estão também a reforçar a discussão em torno do ponto em que um simples e bem humorado "flirt" entre duas pessoas livres poderá tornar-se num comportamento inapropriado ou mesmo em assédio.

Morgan Freeman já reagiu, entretanto, às acusações.

"Qualquer pessoa que me conheça ou tenha trabalhado comigo sabe que eu não sou alguém que intencionalmente ofenda ou de forma consciente faça outra pessoa sentir-se desconfortável. Peço desculpa a quem se tenha sentido desconfortável ou desrespeitado. Essa nunca foi a minha intenção", expressou o ator num comunicado citado pelos meios de comunicação americanos.

Na sequência da denúncia, a empresa de cartões de crédito Visa suspendeu o contrato do ator, que é há muito a voz televisiva nos anúncios televisivos da companhia.