Última hora

Última hora

União Europeia quer travar mortes em Gaza

Em leitura:

União Europeia quer travar mortes em Gaza

Tamanho do texto Aa Aa

4.500 pares de sapatos, um por cada palestiniano morto por Israel na última década.

A tragédia foi lembrada pelo grupo de cidadãos Avaaz, esta segunda-feira, em frente ao Conselho Europeu, em Bruxelas. Ao mesmo tempo, no interior do edifício, os ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28 estados-membros debatiam o aumento de tensão no Médio Oriente.

Como revelou no final do encontro a responsável da Diplomacia Europeia, a italiana Federica Mogherini, os ministros decidiram que é preciso agir o quanto antes para se evitar mais mortes em Gaza.

"As tensões em Gaza acontecem num contexto de falta de um processo de paz e dos desenvolvimentos em Jerusalém. E nós, os 28 estados-membros, estamos empenhados em reconhecer Jerusalém como a futura capital dos dois estados."

A chefe da diplomacia europeia reforçou também o empenho de Bruxelas em cumprir o acordo nuclear com o Irão, apesar da saída dos Estados Unidos do entendimento.

"Para nós não se trata de um interesse económico, mas da segurança da União Europeia porque na falta de um acordo nuclear com o Irão, acreditamos que a segurança na região e da Europa ficará em risco e por isso é que estamos a insistir tanto para mantermos este entendimento."