Última hora

Última hora

Rodrigo Duterte em "O beijo da polémica"

Em leitura:

Rodrigo Duterte em "O beijo da polémica"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, na sua deslocação à Coreia do Sul, protagonizou um momento no mínimo insólito. Pediu um beijo na boca a uma mulher, durante um encontro com cidadãos do seu país. Apercebendo-se que a sua conterrânea era casada, com um sul coreano, pediu-lhe para dizer marido que se tratou de uma brincadeira. Ainda assim, as críticas não se fizeram esperar:

"Não se beija uma mulher para se entreter as pessoas. E o facto de se pensar que beijar uma mulher entretém as pessoas diz tudo sobre a forma como se vê as mulheres, que elas servem para entretenimento, que se pode expressar ou exercer autoridade sobre outra pessoa, especialmente uma mulher, e que isso é entretenimento. É doentio", afirma Joms Salvador, do grupo Gabriela.

Mas nem todos concordam com esta posição:

"Para mim, não há problema nenhum, desde que a mulher tenha concordado. Parece até que foi ela quem pediu. As pessoas estão a ser maliciosas, foi um simples beijo", adianta um filipino, Raymond Pascual.

Já por várias vezes o chefe de Estado chocou com intervenções escandalosas e sexistas. Como as declarações que fez sobre o homicídio e violação de uma missionária australiana em Davao, cidade a que presidia na altura. Duterte afirmou que "ela era tão bonita", que "o presidente da Câmara deveria ter sido o primeiro".