Última hora

Última hora

Campeonato do Mundo Rússia 2018 - As Novidades

Em leitura:

Campeonato do Mundo Rússia 2018 - As Novidades

Tamanho do texto Aa Aa

Em dezembro de 2010, a Rússia foi escolhida pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) como o país organizador do mundial de 2018. Nesta edição do campeonato, tanto a tecnologia como a segurança terão um papel muito importante.

Na Rússia estarão 32 equipas para jogar 64 jogos em 12 estádios, em cidades como Moscovo, São Petersburgo ou Cazã, que receberão milhares de adeptos de todo o mundo. Segundo a estimativa da Associação de Operadores Turísticos da Rússia, o número rondará os 400,000.

Diante de um evento desta envergadura, as autoridades russas e a FIFA uniram esforços para garantir a segurança de todos os participantes. O governo russo já impôs medidas rigorosas contra a eventualidade de um ataque terrorista, incluíndo a proibição total de aviões e dispositivos de vôo, como os drones, nos estádios do mundial, bem como restrições à venda e consumo de álcool antes e depois dos jogos.

De acordo com Gianni Infantino, presidente da FIFA, ''todos os visitantes serão bem recebidos, serão recebidos num ambiente que é de festa e é também seguro. Se alguém tenciona vir à Rússia para criar problemas, o melhor será ficar em casa''.

Todos os visitantes deverão ser portadores do Cartão de Adepto (FAN ID), um documento especial para poder entrar na Rússia durante o torneio. O Cartão de Adepto é também necessário para a entrada nos estádios de todos os fãs, sejam eles estrangeiros ou russos.

A tecnologia é outra das novidades neste mundial. A utilização do polémico vídeo-árbitro marca um momento importante na história do Campeonato do Mundo. Embora alguns pensem que o sistema irá atrasar os jogos, o ex-árbitro italiano e presidente da comissão de árbitros da FIFA Pierluigi Collina acredita que a tecnologia acabará com as decisões controversas que podem determinar o resultado de um jogo.

Reuters
Interior equipado com sistema VAR Reuters

Segundo Collina, ''antes de uma tecnologia nova começar a ser utilizada, é normal haver algum ceticismo. O que podemos dizer aos mais céticos é que o objetivo do recurso ao vídeo-árbitro é claro: é o de evitar os grandes erros no futebol''.

Nas quatro situações que permitem o recurso à nova tecnologia, os operadores fornecem todos os ângulos de câmara disponíveis e os vídeo-árbitros recomendam a decisão ao árbitro, que poderá, caso deseje, rever as imagens e aceitar ou não a decisão sugerida.

Dentro de poucas horas, o jogo entre a Rússia e a Arábia Saudita marcará o início de mais um, muito antecipado, mundial. Que ganhem os melhores.