Última hora

Última hora

Aquarius: Rumo a um futuro melhor

Em leitura:

Aquarius: Rumo a um futuro melhor

Aquarius: Rumo a um futuro melhor
Tamanho do texto Aa Aa

Já a caminho de Espanha, o Aquarius leva a bordo mulheres e crianças resgatadas no mar Mediterrâneo, no passado fim-de-semana.

Soniata Camara deixou a Serra Leoa há quase um ano.

Aos 23 anos e com duas fllhas, leva na bagagem um percurso difícil. Mas o motivo para ter arriscado sair do país de origem continua bem presente.

"Eles queriam fazer mutilação genital às minhas meninas. Eu não queria que as minhas filhas fossem mutiladas, por isso decidi abandonar o país", conta Soniata Camara, uma refugiada da Serra Leoa.

Soniata Camara viajou pela Guiné Bissau, o Burkina Faso e o Mali sozinha, em busca de um futuro melhor para as suas filhas Memouna e Kadijato.

Para quem vem a bordo, a Europa representa a promessa de uma vida melhor, tal como revela Soniata: "A viagem foi difícil. Agora quero encontrar um sítio melhor, onde elas possam ir à escola".

A Organização das Nações Unidas já congratulou Espanha por se ter disponibilizado a receber o Aquarius.

No entanto, teme uma tragédia caso os restantes Estados se recusem a receber estas embarcações.

A porta-voz do Partido Socialista espanhol pediu à Europa solidariedade para acolher estes refugiados.

Soniata Camara ainda não sabe para onde vai, mas sabe onde quer viver.

- Para onde quer ir?

- Quero ir para qualquer sítio onde fique confortável e seja bom ficar.

- E também para as crianças?...

- Sim, também para as crianças.

Na sequência do caso Aquarius, a Comissão Europeia propôs aumentar as verbas destinadas a financiar as migrações, de 13 para 34 milhões e 900 mil euros, no próximo orçamento plurianual de 2021 a 2027.

Entre os 629 migrantes a bordo dos três barcos rumo a Espanha, há 123 menores de idade desacompanhados, 11 crianças pequenas e sete grávidas.

Após o desembarque, o futuro de todas estas pessoas ainda é incerto.