Última hora

Última hora

Como se pode dar acesso aos mercados a "start ups" ecotecnológicas?

Em leitura:

Como se pode dar acesso aos mercados a "start ups" ecotecnológicas?

Como se pode dar acesso aos mercados a "start ups" ecotecnológicas?
Tamanho do texto Aa Aa

Bem vindo a Business Planet.

Estamos em Valência, na costa leste de Espanha.

Neste episódio vamos ver como se pode dar acesso aos mercados a "start ups" ecotecnológicas.

A resposta está... nos polos empresariais.

Connosco a gestora de "clusters" do ano, Bianca, qual é a particularidade do seu polo empresarial?

Bianca Dragomir - AVAESEN:

"Tornamos ideias inovadoras em "start ups" e PME, que ligamos a outras empresas maiores pelo nosso "cluster", mas também a municípios e a indústrias para testarmos e melhorarmos as ideias apresentadas.

Também fazemos a ponte com investidores e ajudamos estas pequenas empresas a aceder a novos mercados."

Vamos agora conhecer um caso concreto.

As hélices dos geradores de energia eólica degradam-se devido à velocidade de rotação e ao clima.

A Aerox dedica-se em Valência à energia limpa. Esta start up tem um inovador sistema de proteção das hélices.

Graças a ele, a eficiência dos geradores eólicos aumentou trinta por cento e os custos cairam.

O projeto recebeu um milhão de euros do programa europeu, Horizonte Dois mil e Vinte.

Raul Cortés - AEROX:

"Nos últimos vinte anos, o tamanho das turbinas eólicas tem vindo a aumentar para conseguir gerar cada vez mais energia. Por isso, a velocidade das hélices é tanta que a erosão provocada pela chuva provocou grandes problemas ao setor."

Sendo pequenas, as "start ups" estão mais próximas dos clientes e dos problemas.

E assim conseguem ter uma ideia mais precisa dos problemas que por vezes se escapam às maiores empresas.

Por esse motivo, às vezes estas empresas mais pequenas são também capazes de desenvolver soluções criativas mais apropriadas.

Raul Cortés:

"Graças à AVAESEN, pudemos entrar em contacto com empresas maiores. E assim pudemos compreender melhor os problemas dos nossos clientes . Isso ajudou-nos a melhorar a nossa oferta."

(Bianca) como é que interagem os agentes privados com os públicos?

Bianca Dragomir:

"Um exemplo é o'think tank' Smart City, no qual trabalhamos com mais de trinta municípios na região de Valencia.

Identificamos as necessidades. Contactamos com quem oferece soluções de negócio e depois juntamos tudo com oportunidades de investimento para acelerar os projetos no mercado."

A Comissão Europeia promove ativamente e financia empresas e agentes públicos a interligarem-se através de polos de negócios.

"Deixámos de ser uma simples rede de accionistas de tecnologia verde e criámos um verdadeiro ecossistema à nossa volta, ligando empreendedores e PME a potenciais clientes e a investidores inclusive internacionais. Tudo de forma efetiva e à medida das necessidades."

Obrigado, Bianca.

Para mais informação, consulte o Business Planet na página da euronews e nas nossas redes sociais. Até breve.