This content is not available in your region

OPAQ ganha direito de apontar responsáveis de ataques químicos

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com EFE
OPAQ ganha direito de apontar responsáveis de ataques químicos
Direitos de autor  REUTERS/Yves Herman

A Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) ganhou o direito de apontar os responsáveis pelo uso de armamento proíbido num ataque.

Com uma maioria de 82 votos a favor e 24 contra, os países-membros validaram a proposta do Reino Unido, alargando os poderes da OPAQ, que antes apenas podia confirmar ou desmentir a existência de um ataque químico.

O chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson, diz que "houve recentemente uma série de ataques químicos na Síria, em Salisbury e noutros sítios. O tabu contra o uso destas armas está a cair por terra e agora a OPAQ [...] pode também apontar o dedo aos responsáveis".

Para o embaixador russo Alexander Shulgin, cujo país tentou bloquear a proposta britânica, "não há outro organismo internacional, para além do Conselho de Segurança [da ONU], que deve tratar destes assuntos, como a atribuição de responsabilidade, [...] o estabelecimento de sanções e etc".

Os novos poderes da organização ameaçam particularmente o regime sírio, apoiado pelo Kremlin e várias vezes acusado pela comunidade internacional de recorrer a armas químicas em ataques contra a população civil.