Última hora

Última hora

O regresso do antissemitismo na Europa?

Em leitura:

O regresso do antissemitismo na Europa?

O regresso do antissemitismo na Europa?
Tamanho do texto Aa Aa

Há dois meses, em Berlim, um refugiado sírio agrediu, com um cinto, dois jovens que usavam um quipá, o barrete usado por alguns judeus. O agressor foi condenado esta semana a uma pena de prisão e obrigado a visitar um museu para aprender a história do antissemitismo na Alemanha.

A Alemanha não é o único país europeu afetado pelo fenómeno. Em França, os incidentes de natureza antissemita são cada vez mais violentos. A comunidade judaica francesa representa 1% da população, mas, é alvo de 50% dos crimes de ódio (que vão dos insultos aos assassínios). Desde 2005, onze pessoas foram assassinadas por serem judias.

Devido ao atual clima de medo, muitos viram-se para a defesa pessoal. É o caso de Nethaniel Azoulay que pratica artes marciais. Encontrava-se com o irmão, ambos usavam um quipá, quando foram agredidos por um homem armado com um serra.

"Se eu não soubesse defender-me, se eu não tivesse sido capaz de tirar-lhe a arma das mãos, não teria podido ajudar o meu irmão e salvar-nos. O desporto salvou-nos da morte", disse a vítima, entrevistada pela euronews.

As iniciativas da sociedade civil

Em toda a Europa, a sociedade civil procura agir. Em Frankfurt, na Alemanha, as escolas organizam o dia do quipá. Para mostrar solidariedade, as pessoas, judeus e não judeus usam um quipá durante todo o dia.

"O antissemitismo tem várias camadas. É alimentado pelo anti-semitismo de extrema-direita, representado pelas pessoas que andam calçadas com botas pretas de combate. É alimentado pelo antissemitismo de esquerda, que critica Israel, indo do antissionismo ao antissemitismo. Há outra coisa, que vemos cada vez mais, embora não seja o único ponto, é o anti-semitismo das comunidades onde os judeus e, em particular, os judeus israelitas, são vistos como o bicho-papão", sublinhou o autarca de Frankfurt, Uwe Becker.

A comunidade judaica está preocupada. Será que a chegada de numerosos refugiados muçulmanos à Europa está associada ao aumento do antissemitismo? Será que a Europa é o novo palco do conflito israelo-palestiniano?

Para responder às perguntas, a Euronews realizou duas reportagens, em França e na Alemanha. Para ver na euronews esta sexta-feira, 29 de junho, a partir das 19h40.