Última hora

Última hora

Copresidente do Grupo Verde no PE acusa Viena de apoiar grupo de Visegrado

Em leitura:

Copresidente do Grupo Verde no PE acusa Viena de apoiar grupo de Visegrado

Copresidente do Grupo Verde no PE acusa Viena de apoiar grupo de Visegrado
Tamanho do texto Aa Aa

Ska Keller, copresidente do Grupo Verde no Parlamento Europeu, acusa Viena de falta de solidariedade e de apoiar o grupo de Visegrado.

A cerimónia de transferência da Bulgária para a Áustria da presidência rotativa da União Europeia realizou-se há três dias. A Áustria mantém o combate à imigração ilegal no topo da agenda política.

"De momento, parece que o governo austríaco está a tomar um dos lados, nomeadamente o lado dos países de Visegrado. Não está de todo interessado em qualquer resposta humanitária ou em qualquer resposta que reflita solidariedade dentro da Europa", acusa Keller.

Viena defende medidas como a construção de campos de contenção fora do território europeu e o fim dos apoios sociais para travar a chegada de migrantes ilegais à Europa e a permanência de candidatos de asilo. Para Sebastian Kurz, chanceler austríaco, "o modelo australiano deveria ser o principal modelo, porque conseguiu impedir que o país se afundasse". Kurz, acrescenta, "fui fortemente criticado por isso, mas agora o debate a nível europeu segue a mesma direção. Se existem centros fora da Europa, se existem os chamados centros de acolhimento, então já não faz sentido que os migrantes se arrisquem na perigosa jornada pelo Mediterrâneo".

O eurodeputado húngaro György Schöpflin diz que as medidas que Viena pretende adoptar são reconhecidas por muitos países como sendo a solução, mas que estes não querem admitir: "Julgo que todos nós já passámos pela sensação de saber que ainda somos poucos a estar certos. Penso que é o caso da Hungria e dos países de Visegrado neste momento. Já desde o início, em 2015, que dizemos que esta não é a solução. As fronteiras de Schengen devem ser protegidas e o sistema de Dublin deve ser aplicado. Agora, mais países sentem que essa é a solução, mas não vão admitir que a Europa central estava certa nesta questão".

Porém, para a copresidente do Grupo Verde, a migração ilegal não passa de uma tentativa de camuflar outros problemas existentes: "Será que temos uma Europa democrática em mente? Temos uma Europa social em mente? Ou temos uma Europa de medo, com fronteiras fechadas, onde o interesse nacionalista prevalece e onde se desconfia dos vizinhos? No final, é disto que se trata. Muitos governos, incluindo o austríaco, estão a usar a migração para encobrir todos os outros problemas. Por exemplo, estão a fazer cortes nos apoios sociais. Mas, ao falarem de migração o tempo todo, estão a tentar deixar outras questões escapar".