Última hora

Última hora

Alemanha: Chuva de críticas ao acordo sobre a migração

Em leitura:

Alemanha: Chuva de críticas ao acordo sobre a migração

Alemanha: Chuva de críticas ao acordo sobre a migração
Tamanho do texto Aa Aa

Os conservadores da Alemanha encontraram finalmente um terreno de entendimento na política migratória, mas o ceticismo continua.

Para o ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, da CSU, que ameaçou abandonar o governo, "o que conta são os resultados", mas a oposição não esconde o descontentamento.

Katrin Göring-Eckardt, dos Verdes, afirma: "Para mim, não é apenas uma grande deceção, é uma negação de uma ação conjunta na Europa. O Sr. Seehofer não venceu, a Sra. Merkel não venceu, mas a democracia foi afetada".

"Isto não é, de maneira nenhuma, a grande reviravolta que os políticos da CSU estão a anunciar. No máximo, é apenas mais uma das muitas ferramentas necessárias para o controlo da migração para a Alemanha.", defende Christian Lindner, líder do partido Liberal, FDP.

Um acordo à direita; desacordo à esquerda. O SPD ainda não sabe como é que isto vai afetar a sua participação na coligação governamental. Andrea Nahles, líder do partido, foi muito vaga :"Estamos dispostos a continuar a trabalhar para desenvolver uma opinião final. Quando e como isso vai acontecer, não posso dizer neste momento", referiu.

O acordo prevê, entre outras medias, controlo na fronteira germano-austríaca e centros de trânsito onde o destino dos migrantes será gerido em funçâo de acordos com os países de origem.